Alpha Blondy

6 JUL 2018 - Palco MUSA CASCAIS

Vindo da Costa do Marfim, Alpha Blondy está entre os artistas de reggae mais populares do mundo. Com a sua banda - Solar System - Blondy oferece uma batida de reggae com um estilo africano distinto. Intitulando-se um Rasta africano, Alpha Blondy cria hinos centrados em Jah que promovem a moralidade, o amor, a paz e a consciência social. O artista também é um firme defensor da unidade africana e, nesse sentido, canta para o público muçulmano em hebraico e canta em árabe para os israelitas. Algumas de suas canções mais conhecidas são "Cocody Rock", "Jerusalem", "Wish You Were Here" e "Apartheid Is Nazism".

Alpha Blondy sempre foi uma criança rebelde e, por isso, ganhou a alcunha de "Blondy", uma pronúncia única da palavra 'bandido (bandit)'. Quando começou a apresentar-se profissionalmente, assumiu o nome Alpha (a primeira letra do alfabeto grego), desta forma o seu nome traduz-se literalmente como "primeiro bandido".

Embora ele tenha crescido ouvindo música folclórica africana como yagba e gumbe, as suas principais influências musicais foram bandas ocidentais como Deep Purple, Pink Floyd, Hendrix, os Beatles, Creedence Clearwater Revival e artistas de soul como Otis Redding. Anos mais tarde, a música de Bob Marley afetou tremendamente Blondy.

Embora ele quisesse ser músico, a sua família esperava que ele se tornasse um respeitável professor de inglês. Desta forma estudou inglês na Hunter College, em Nova York e depois na Columbia University American Language Program. Fora da sala de aula, ele tocava música no Central Park e nos clubes do Harlem, onde ocasionalmente as bandas da casa o deixavam cantar suas "covers" de Bob Marley em francês, inglês e várias línguas da África Ocidental. Uma noite, o produtor de discos Clive Hunt ouviu Blondy cantar e convidou-o para gravar seis músicas. Infelizmente, Hunt fugiu com a fita.

Pouco tempo depois, ele retornou à Costa do Marfim, onde foi preso por ameaçar o embaixador na embaixada da Costa do Marfim em Nova York devido ao diplomata achar que o inglês de Blondy era bom demais para ele ser um nativo marfinense - passou uma semana na prisão.

Depois desta controversa detenção, Alpha Blondy começou a aperfeiçoar suas habilidades de composição. Blondy teve a sua grande oportunidade através do amigo Fulgence Kass, um funcionário da televisão da Costa do Marfim, que o ajudou a conseguir um lugar no show de talentos do Premiere Chance. Cantando três de suas próprias músicas e "Christopher Columbus" de Burning Spear, o jovem artista foi um sucesso entre o público.

Blondy juntou-se ao produtor G. Benson onde gravou seu álbum de oito músicas -"Jah Love" -, em um único dia. A música mais popular, "Brigadier Sabari" foi um relato de um confronto de Blondy com a polícia de Abidjan, na qual ele quase foi espancado até a morte. Foi a primeira vez que um artista da África Ocidental se atreveu a mencionar a brutalidade policial em público. Depois de lançar o álbum, ele e a recém-formada banda Solar System assinaram com a EMI. Gravaram o seu segundo álbum "Cocody Rock" em Paris, no ano de 1984.

Mais tarde encontrou-se com Tuff Gong para gravar seu terceiro álbum "Jerusalem" (1986). Foi com o lançamento de seu álbum de 1987 "Revolution"que Alpha Blondy estabeleceu-se  como um artista internacional. Três anos antes ele havia sido eleito o artista número 1 por uma pesquisa internacional da Radio France. O seu álbum de 1992 "Masada" foi lançado em mais de 50 países e ganhou o duplo disco de ouro em França. O álbum "Yitzhak Rabin" foi produzido em 1998 e "Paris Percy" apareceu na primavera de 2001. Embora tenha sido gravado em 1999, o álbum "Elohim" apareceu em 2002 na Europa e três anos depois na América. "Akwaba: O Melhor de Alpha Blondy" foi lançado em 2005, seguido por "Jah Victory" em 2007. No ano de 2011 foi a vez do lançamento de "Vision" lançado pela editora Wagram. No entanto foi devido ao álbum de 2013 "Mystic Power" que lançou o seu relacionamento com o selo VP. O veterano do reggae africano lançou em 2015 "Positive Energy" que contou com participações de Tarrus Riley e Ijahman Levi.

A maior voz do reggae africano e uma das últimas lendas vivas está de volta ao MUSA CASCAIS no dia 6 de Julho para deliciar o público com os seus maiores clássicos. A não perder!

Ir para a barra de ferramentas